Como investir em tempos de crise

Como investir em tempos de crise? Selecionamos aqui as melhores dicas para te ajudar a aplicar o seu dinheiro da melhor forma!

Publicidade
Fonte: Google Imagens

Nos últimos anos, temos enfrentado grandes dificuldades financeiras e crises econômicas sucessivas, que acabaram afetando o mundo inteiro.

Publicidade

Como resultado, o mercado financeiro se tornou mais incerto, o que acabou gerando dúvidas sobre como investir de maneira eficiente.

Publicidade

No geral, a grande maioria dos especialistas em investimentos, afirmam que a instabilidade já é uma parte predominante da economia e do mercado financeiro como um todo, sendo que o normal é que existam momentos de alta e de baixa.

Contudo, quando olhamos pelo lado dos investidores, é normal que muitos se sintam inseguros frente a tanta volatilidade, o que leva a uma maior dificuldade na hora de escolher como e no que investir.

Pensando nisso e sabendo que muitos dos nossos leitores se vêem nessa situação, resolvemos criar esse post, para te ajudar a entender como você pode investir com segurança mesmo em momentos de crise.

Publicidade

Abaixo, separamos uma série de dicas para te ajudar a tomar decisões mais assertivas, e a perder o medo de investir. Confira!

Como investir em tempos de crise

Monte a sua reserva de emergência

A primeira dica e a mais importante, que todo investidor deve levar à risca, é montar uma reserva de emergência antes de começar a alocar dinheiro em investimentos.

Seja você um investidor experiente no assunto, ou que está começando agora, a reserva de emergência é o pilar fundamental para ter mais estabilidade na vida.

Basicamente, chamamos de reserva de emergência, o montante de dinheiro que equivale a 6 meses do seu custo de vida. Esse dinheiro deve ficar guardado em um lugar que você possa acessar imediatamente caso necessite.

Em um cenário de crise, nunca sabemos o que pode acontecer, não é mesmo? Por isso, ter a reserva de emergência pronta, te dará a segurança de que, caso você precise, terá um valor destinado a suprir as suas contas e gastos sem ter que se endividar.

Crie um planejamento financeiro

Não tem como falar em investimentos sem, antes, ter um planejamento financeiro eficiente, e muita organização com relação às finanças pessoais.

Tudo bem que as oscilações dentro do mercado financeiro são imprevisíveis, e que os investimentos são naturalmente instáveis. Mas essa regra não deve se aplicar para as suas finanças pessoais também, ou investir nunca trará resultados suficientes para você.

Ter um planejamento financeiro é o primeiro passo para começar a investir. Por isso, é necessário desenvolver em você, o hábito de sempre ter controle sobre os seus recursos.

Publicidade

Afinal, fazer isso te ajudará a criar bons frutos, e a passar bem por momentos de crises.

Por isso, faça sempre o esforço de anotar e colocar em uma planilha, todos os seus gastos do mês, de forma a avaliar para onde o seu dinheiro está indo, e enxergar pontos que você pode melhorar.

E lembre-se: o seu gasto mensal nunca deve ser maior que a sua renda! Na verdade, o ideal é pelo menos 20% da sua renda sobre o final do mês, pois é esse valor que você vai destinar para criar a sua reserva de emergência, e para fazer os seus investimentos.

Se você tem muita dificuldade em criar um planejamento financeiro pessoal, ou não é organizado por natureza, a melhor solução é buscar a ajuda de um profissional, e começar a estudar mais sobre o assunto!

Existem várias empresas de consultoria financeira que podem te ajudar não apenas a planejar os seus gastos, mas também a otimizar a sua renda mensal, e a começar a investir.

Publicidade

Defina qual é o seu perfil de investidor

Uma terceira dica para investir com segurança em tempos de crise, é definir qual é o seu perfil de investidor.

Essa classificação vai te ajudar a tomar decisões de investimento mais assertivas, e condizentes com o risco que você está disposto a correr.

Dessa forma, o seu perfil de investidor vai definir, basicamente, qual é o seu grau de tolerância com relação ao risco. Você aceita arriscar o seu dinheiro em um investimento que pode te trazer muito retorno, ou que pode te fazer perder tudo?

Ou prefere optar por investimentos que já possuem um retorno previsto, e que você tenha garantia de que não vai perder nada?

Essas são algumas perguntas comuns que você pode encontrar nos testes de perfil de investidor das corretoras, bancos e instituições. Ao conseguir dominar o seu perfil, fica mais fácil filtrar os investimentos que fazem parte do seu escopo de risco.

Invista em renda fixa

Em tempos de crise, a renda fixa sempre continua sendo uma boa opção!

Portanto, você não precisa tirar o seu dinheiro de todos os investimentos que possui, por medo de perder tudo.

Nessas situações, aloque o seu montante em investimentos de renda fixa que possuem um retorno garantido. Dessa forma, você mantém o seu dinheiro rendendo, e evita que ele se deprecie com a inflação.

Algumas boas opções de investimentos em renda fixa para momentos de crise são: títulos públicos de renda fixa, CDI, LCA, LCI, RDC, e algumas opções de fundos de renda fixa e fundos de investimentos.

Publicidade

Não se desespere!

Por fim, a última dica é não se desesperar, e nem entrar em pânico em momentos de crise na economia e no mercado financeiro. Afinal, sabemos que tudo o que cai, volta a subir, não é mesmo?

Por isso, se você acabou perdendo muito dinheiro na Bolsa, por exemplo, talvez o melhor momento para vender não seja esse. Até porque todos os outros investidores também perderam junto com você.

Em situações como essa, tente manter a calma, e pensar racionalmente antes de tomar qualquer atitude.

Já com relação à renda fixa, as oscilações demoram bem mais para acontecer. Além disso, geralmente, são muito menores no curto prazo, voltando a subir em pouquíssimo tempo.

Se você tem um investimento que só te pagará o valor estipulado na data de vencimento, então, não é uma boa ideia retirar antes apenas porque o mercado deu uma oscilada.

Portanto, ao investir em tempos de crise, o melhor a se fazer, muitas vezes, é aguardar um pouco até que os juros voltem a subir de novo. A dica é respirar, pensar e avaliar bastante qual será a melhor estratégia a ser tomada!

Leia também