Dinheiro extra Pis/Pasep: veja aqui como receber

Está precisando de um dinheiro extra antes do fim do ano? Então, essa notícia pode te agradar bastante!

Publicidade
Fonte: Google Imagens

Na última semana, chegaram notícias muito boas para os milhões de brasileiros que trabalharam com a carteira de trabalho assinada em 2021.

Publicidade

Isso porque todos que trabalham nesse ano, de forma regular e com a carteira assinada, estarão aptos a receber um benefício de até um salário mínimo em suas contas bancárias.

Publicidade

Esse benefício é mais conhecido no mundo do trabalho como PIS/Pasep, um programa que oferece um incentivo financeiro ao trabalhador.

Contudo, para estar elegível a receber o dinheiro do PIS/Pasep, é necessário cumprir alguns requisitos. Se você ainda não sabe como funciona esse benefício, como usar o dinheiro extra, e quais são os critérios, acompanhe a leitura para conferir todos os detalhes.

O que é o dinheiro extra do PIS/Pasep?

Caso você ainda não saiba o que é PIS/Pasep, essa é a primeira informação que você precisa ter em mente antes de entender sobre o benefício.

O PIS e o Pasep são programas sociais que o Governo Federal brasileiro criou. Eles têm como finalidade, promover a integração social e o fortalecimento do patrimônio do trabalhador.

Publicidade

Ambos os programas oferecem um incentivo financeiro aos trabalhadores que atendem aos requisitos de elegibilidade. Isso inclui: ter trabalhado com carteira assinada por, pelo menos, 30 dias no ano-base, e ter recebido remuneração média de até dois salários mínimos mensais.

O cálculo do valor do benefício é de acordo com o tempo trabalhado no ano-base, e pode variar de um valor mínimo até o valor de um salário mínimo completo.

Além disso, o pagamento ocorre por meio de um calendário organizado, que avança conforme a data de aniversário ou número final da inscrição do trabalhador, e o depósito diretamente na conta bancária do beneficiário.

Depois, o trabalhador pode realizar o saque do dinheiro pelas agências da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil.

Qual é a diferença entre o PIS/Pasep?

O PIS e o Pasep são programas distintos, mas com objetivos similares, que visam beneficiar trabalhadores brasileiros.

A administração do PIS, ou Programa de Integração Social, é feita pela Caixa Econômica Federal, e se destina a trabalhadores da iniciativa privada.

Já o Pasep – Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público – quem administra é o Banco do Brasil e se destina a servidores públicos.

Ambos os programas surgiram com o objetivo de promover a integração do trabalhador na vida e no desenvolvimento das empresas, além de proporcionar recursos para o trabalhador em momentos de dificuldade financeira.

Dessa forma, podemos dizer que o PIS e o Pasep são semelhantes, mas existem algumas diferenças importantes, como a forma de cadastramento e a fonte de financiamento.

Publicidade

No caso do PIS, os recursos são provenientes das empresas, que depositam uma porcentagem do salário de cada funcionário em uma conta vinculada. Já no Pasep, o dinheiro é proveniente do governo federal.

Em resumo, apesar de terem objetivos similares, o PIS e o Pasep são programas diferentes, com foco em públicos distintos, e com fontes de financiamento diferentes.

Como receber o dinheiro extra do PIS/Pasep?

Para ser elegível a receber o dinheiro, é necessário que o trabalhador cumpra alguns requisitos, como mencionamos anteriormente.

Esses requisitos são:

  • Estar cadastrado no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos;
  • Tenha trabalhado por pelo menos 30 dias em 2021, recebendo uma remuneração média de até dois salários mínimos naquele ano.

Contudo, o valor do saque varia de pessoa para pessoa e depende, principalmente, do tempo trabalhado. Além disso, é importante destacar que o valor é pago na proporção de 1/12 do salário mínimo por mês trabalhado.

Por onde o dinheiro do PIS/Pasep é pago aos trabalhadores?

Os trabalhadores que têm direito ao PIS/Pasep, podem receber o benefício por meio de uma conta bancária na Caixa Econômica Federal (no caso do PIS) ou no Banco do Brasil (no caso do Pasep).

O crédito do valor é diretamente na conta do trabalhador, desde que ele atenda aos critérios exigidos pelo programa. Além disso, é possível sacar o dinheiro em agências bancárias, caixas eletrônicos ou lotéricas, utilizando o Cartão do Cidadão.

Publicidade

É importante lembrar que o saque só pode ser feito por pessoas que têm direito ao benefício, e que se enquadram nos requisitos do programa.

O que acontece se um trabalhador não sacar o dinheiro extra do PIS/Pasep?

Se um trabalhador não sacar o benefício do PIS/Pasep, o valor volta para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que é o Fundo criado para gerir as políticas públicas de geração de emprego e renda, seguro-desemprego, abono salarial e outros benefícios trabalhistas.

No entanto, é importante destacar que o benefício do PIS/Pasep é um direito do trabalhador. Ele serve para ajudar em suas despesas e melhorar sua qualidade de vida.

Por isso, o ideal é que os trabalhadores verifiquem regularmente se têm direito ao benefício e, caso positivo, façam o saque dentro do prazo estipulado pelo calendário de pagamento.

O PIS/Pasep serve como garantia em empréstimos ou financiamentos?

Quando o assunto é a entrada dos valores do PIS/Pasep, essa é uma dúvida que pode ser muito comum entre alguns perfis de trabalhadores: esse valor serve como garantia de crédito?

Publicidade

A resposta é sim! O PIS/Pasep serve como garantia em empréstimos ou financiamentos. No entanto, isso depende da política de cada instituição financeira.

Algumas delas aceitam o PIS/Pasep como garantia, desde que o valor seja suficiente para cobrir a dívida, e a pessoa tenha direito a sacar o benefício.

É importante lembrar que, ao usar o PIS/Pasep como garantia, a pessoa corre o risco de perder o benefício caso não consiga pagar a dívida.

Por isso, é importante avaliar cuidadosamente a decisão antes de utilizar o PIS/Pasep como garantia.

Onde tirar dúvidas sobre o benefício do PIS/Pasep?

Se algum trabalhador tiver dúvidas sobre o benefício do PIS/Pasep, ele pode consultar o aplicativo Carteira de Trabalho Digital, ou entrar em contato com a central Alô Trabalhador, no número 158.

O calendário de pagamento é de acordo com o mês de aniversário ou número final da inscrição do trabalhador. E a divulgação é sempre nos canais oficiais, para que toda a população consiga acompanhar o progresso.

E aí, ficou um pouco mais claro como funciona o PIS/Pasep? Então, se você trabalhou com carteira assinada em 2021 e está dentro dos requisitos, não deixe de acompanhar o calendário para conseguir o seu dinheiro extra!

Leia também