O poder dos juros: use-o a seu favor

Publicidade

Você sabe qual é o poder dos juros? Mas antes, para começar, você sabe o que são os juros? Eles são uma realidade financeira presente em empréstimos, créditos e investimentos, mas você sabia que é possível usá-los a seu favor?

Publicidade
Fonte: Google Imagens

É por isso que compreender o funcionamento das taxas de juros é tão importante para a sua educação financeira.

Publicidade

Ao ter esse conhecimento, você será capaz de avaliar as taxas de juros, e escolher as melhores opções para suas finanças.

Dessa forma, poderá aproveitar o poder dos juros para obter benefícios financeiros, tanto na hora de investir quanto para tomar empréstimos ou créditos.

Então, para conferir tudo sobre o assunto de uma vez por todas, acompanhe a leitura do artigo com a gente!

Afinal, o que são os juros?

Para compreender melhor sobre o poder dos juros, precisamos começar do início: o que é o famoso “juro”?

Eles são como um aluguel que você paga quando empresta dinheiro. Quando alguém precisa de dinheiro emprestado, é justo que a pessoa que emprestou receba o valor de volta, com um acréscimo pelo tempo que o dinheiro ficou emprestado.

Para determinar esse acréscimo, usamos a taxa de juro, que é expressa em porcentagem, e adicionada ao valor do empréstimo. Mas, por que isso é importante?

Porque as taxas de juros são diferentes para cada tipo de empréstimo ou investimento. E é fundamental entender como elas funcionam para fazer escolhas financeiras inteligentes!

Por exemplo, se a taxa for de 10% ao ano em um empréstimo de R$100,00, a pessoa que pegou o empréstimo terá que devolver R$110,00 ao final de um ano.

Publicidade

Mas, se você investir em uma aplicação que paga 12% ao ano, ao final de um ano, você terá R$112,00.

Isso significa que entender as taxas de juros pode ajudar você a tomar decisões financeiras mais conscientes e rentáveis. Então, fique de olho no juro e use-o a seu favor.

Qual a diferença entre juros simples e compostos?

Vamos falar de juros, mas, dessa vez, é importante entender a diferença entre juro simples e juro composto.

Quando os juros cobrados – ou pagos – incidem sobre o valor principal e sobre os juros de cada período, estamos falando de juros compostos.

Isso significa que quanto mais tempo o dinheiro fica aplicado, mais juros são gerados, e mais juro incide sobre o juro. É como uma bola de neve que vai crescendo cada vez mais.

Já no juro simples, eles incidem apenas sobre o valor inicial, de maneira fixa. Assim, o juro de cada período não entra no cálculo do próximo.

Vamos a um exemplo para ficar mais claro: suponha que você tenha R$100,00 para investir, e escolha um investimento que lhe promete uma taxa de juros de 10% ao ano. Se o sistema for de juro simples, você receberá R$10,00 a título de juro no final de um ano.

Mas, se o sistema for de juros compostos, o juro incide não apenas sobre o principal, mas também sobre os juros ganhos no primeiro ano.

Desse modo, no final de dois anos, os juros totais ganhos serão iguais a R$21,00, já que no primeiro ano, o juro rendeu R$10,00, enquanto que, no segundo, eles renderam em cima dos R$110,00, e não do valor inicial de R$100,00, resultando em um rendimento de R$11,00.

É importante lembrar que a grande maioria dos investimentos hoje em dia, está atrelada aos juros compostos.

Mas, afinal, quais fatores impactam nos juros?

No geral, existem três fatores que vão afetar a dinâmica dos juros.

O primeiro fator é a forma como os juros são calculados, ou seja, a cada período, os juros acumulados viram uma nova base para calcular os juros futuros. Parece confuso, mas é importante entender.

Publicidade

Em segundo lugar, a taxa de juro acordada é muito importante. Antes de fechar qualquer negócio, é essencial comparar as opções de empréstimos, e escolher uma taxa mais favorável.

Por fim, o terceiro fator é o prazo do empréstimo. Prazos longos com parcelas pequenas, podem acumular uma quantidade maior de juros. Então, o ideal é optar por um prazo mais curto com parcelas maiores, sempre que possível.

Como os juros impactam os cartões de crédito e o cheque especial?

Você sabia que o cheque especial e o cartão de crédito são considerados os “vilões” dos juros altos no Brasil? Pois é! Essas duas formas de crédito têm as maiores taxas de juros do país. Mas por que será que isso acontece?

Um ponto em comum que caracteriza esses dois serviços financeiros, é que esses tipos de crédito não possuem nenhum bem como garantia, o que eleva o risco de não recebimento para as instituições financeiras.

Publicidade

Além disso, o cliente pode usar o cheque especial e o cartão de crédito como e quando quiser, sem precisar de uma negociação prévia.

E o resultado disso? Muitos brasileiros acabam se endividando e ficando inadimplentes. De acordo com a Serasa, em setembro de 2022, 68 milhões de brasileiros estavam inadimplentes, e mais da metade dessas dívidas eram com cartão de crédito.

Portanto, se você está pensando em usar o cheque especial ou o cartão de crédito, é importante ficar atento às taxas de juros, e usar com responsabilidade para não acabar se afundando em dívidas.

Dicas para utilizar o cartão de crédito e o cheque especial da melhor forma.

Começando pelo cheque especial que, apesar de ter juro alto, pode ser útil em algumas situações.

A primeira é quando o banco oferece o uso sem juros por até 10 dias. Se você tem uma conta que precisa ser paga imediatamente, mas seu dinheiro só estará disponível daqui a alguns dias, você pode usar o cheque especial para evitar multas e juros.

No entanto, é importante lembrar que você precisa cobrir o saldo de crédito dentro do prazo ofertado pelo banco. Caso contrário, haverá cobrança de juro diário.

A outra situação é quando ocorrem emergências, como gastos inesperados com saúde, ou manutenções urgentes. Nesses casos, a facilidade de utilizar o crédito pode ser uma boa opção.

Publicidade

Agora, falando sobre o cartão de crédito, a principal dica é pagar sempre o valor total da fatura, para evitar cobranças de juros do crédito rotativo.

Para ajudar a cumprir essa regra, você pode ter um dinheiro já aplicado para resgatar e pagar a fatura no dia do vencimento, receber sua renda antes do vencimento da fatura e destinar o montante necessário para o pagamento integral.

Assim como limitar suas compras ao valor que pode pagar na data de vencimento, parcelar somente quando o valor total for o mesmo à vista ou parcelado, verificar todos os compromissos parcelados para pagamentos futuros, e manter seus valores investidos para quitá-los nos respectivos vencimentos.

Seguindo essas dicas, você pode desfrutar dos benefícios do cartão de crédito, como parcelar compras sem juros, acumular pontos para trocar por prêmios, e obter descontos em compras por meio de programas de fidelidade.

Gostou das nossas dicas? Compartilhe o texto com amigos e familiares que também se interessam por assuntos financeiros, e precisam entender mais sobre o poder dos juros no nosso dia a dia.

Leia também