PIX: conheça essa nova tecnologia

Publicidade

Bom, talvez você já tenha ouvido falar desse tal de PIX né?! Está espalhado por toda internet e redes sociais, a novidade do mercado financeiro que auxilia o cliente em suas transferências bancárias.

Publicidade

O Pix é uma nova forma de movimentar sua conta bancária. Nesse sentido, o DOC e o TED abrem espaço para que as transferências se modernizem.

Publicidade

Se você se lembra, o DOC e o TED, possuem tarifas para outros bancos e levam um tempo mínimo para serem recebidos. Por outro lado, o Pix apresenta essa e outras diferenças.

De forma resumida, o Pix permite que uma pessoa faça transferência e não pague nada por isso. Quem recebe, por sua vez, tem o dinheiro na conta no mesmo momento, não importa se possui conta em outro banco, ou se não é dia útil.

Publicidade

De onde surgiu o PIX e como funciona?

O Pix, segundo o Banco Central do Brasil, tem origem em dois modelos internacionais:

Open banking, da Inglaterra: os bancos compartilham seus dados, seus produtos e seus serviços. Dessa forma, no caso de transferências, eles fazem a operação, sem custo algum para o cliente;

Modelo seguido pelo México: mesmo que entre dois bancos diferentes, o dinheiro é movimentado pelo Banco Central.

Sabendo disso, o Pix, por sua vez, funciona da seguinte forma: um cliente do banco A transfere um determinado valor para o cliente do banco B. No mesmo momento, o Banco Central faz o intermédio entre esses bancos.

Sendo assim, o cliente do banco A tem apenas o valor transferido retirado de sua conta. Como resultado, não existe nenhuma taxa envolvida, o processo é totalmente grátis.

Da mesma forma, o cliente do banco B recebe o valor no mesmo momento e não paga nada para isso.

De forma contrária às transferências DOC e TED, o Pix pode ser realizado com uma única informação sobre o cliente que receberá o valor. Dessa maneira, a chamada “chave Pix” pode ser cadastrada em sua conta bancária, e pode variar entre: CPF, e-mail, número de celular ou, ainda, um código aleatório.

Além das transferências usuais, os clientes dos bancos brasileiros podem usar o Pix para fazerem pagamentos. Dessa forma, os estabelecimentos que são cadastrados no Pix podem receber de forma rápida e prática.

Publicidade

Enfim, a ausência de taxas e a facilidade das movimentações financeiras são as principais vantagens do Pix. Por outro lado, esse modelo de transações exige um conhecimento e uma facilidade com a tecnologia, o que pode ser uma desvantagem para alguns.

Qual banco tem Pix?

Segundo as informações do Banco Central, todas as instituições financeiras do Brasil podem participar do Pix.

Porém, as instituições que possuem mais de 500 mil contas ativas, têm a participação obrigatória. De acordo com o Banco Central, essa é uma forma de garantir que o Pix seja efetivo para grande parte da população.

O Pix já está funcionando?

Sim! O Pix teve início no dia 16 de novembro de 2020. Hoje, 734 instituições financeiras já fazem parte da nova tecnologia.

Os dados divulgados pelo Banco Central mostram que, apenas no primeiro mês de funcionamento, o Pix alcançou dados bem altos: foram 116 milhões de chaves Pix cadastradas, 92,5 milhões de transações realizadas e R$83,4 bilhões movimentados via Pix em apenas um mês!

Como faço para começar a usar?

Antes de tudo, saiba que o Pix é gratuito. Além disso, grande parte das instituições financeiras devem oferecer o serviço aos seus clientes.

Cadastro da chave

A chave Pix deve ser cadastrada por você em sua conta bancária. Você pode optar entre CPF, e-mail, número de celular e uma chave aleatória.

            Caso você possua mais de uma conta, cada uma delas deverá ter uma chave Pix. Por exemplo, se você escolheu seu CPF para a conta no banco A, o banco B deverá ter a chave de e-mail ou número de celular.

            Por sua vez, a chave aleatória é melhor para casos de transferências pontuais.

Como transferir um valor

Para fazer uma transferência, peça para o beneficiado a chave Pix dele.

            Logo depois, já no aplicativo de seu banco, selecione a opção de transferência Pix e digite a chave, o valor e confirme. Em seguida, confira se os dados que aparecem na tela conferem com os da pessoa que você quer beneficiar.

            Caso esteja tudo certo, confirme e digite sua senha. Pronto! A pessoa receberá o valor em poucos segundos.

Como receber um valor

Existem duas formas para receber um valor através do Pix. Ambas são fáceis, rápidas e simples.

A primeira delas é parecida com o modo antigo de se receber transferências via DOC ou TED. Você deve dizer sua chave Pix para quem irá te pagar. Também é legal confirmar algum dado, como seu nome completo ou instituição financeira.

A segunda forma é, em seu aplicativo do banco, você selecionar a opção “receber transferência Pix”. Ali, o sistema irá criar um QR code que você vai compartilhar com a pessoa, que deverá lê-lo e realizar o pagamento.

Se você gostou, já comece a usar o seu agora, você vai perceber como é prático, simples e seguro, aproveite!!

Leia também