Previdência Privada vale a pena?

Muitas pessoas possuem dúvidas sobre como funciona uma previdência privada, se ela realmente é importante e se vale a pena investir.

Publicidade
Fonte: Google Imagens

Fato é que, além dessas questões, é muito importante saber escolher o Fundo certo para a sua previdência, um ponto que, muitas vezes, as pessoas não analisam corretamente.

Publicidade

Com toda a certeza, já podemos afirmar, antes mesmo de iniciar o conteúdo, que a previdência privada é uma ótima escolha para quem possui metas no longo prazo, e para quem quer ter mais independência financeira no futuro.

Publicidade

No mercado financeiro, existem diversas opções de fundos de previdência, assim como outras opções de ativos financeiros que podem te ajudar a estruturar a sua previdência privada.

Uma das maiores vantagens da previdência privada, contudo, é a possibilidade de conseguir se aposentar mais cedo. Além disso, ela ajuda a criar uma reserva financeira para o longo prazo.

Portanto, fica claro que é uma opção de investimento que pode servir para diversas metas diferentes, indo muito além da própria aposentadoria.

Quer entender melhor como funciona uma previdência privada, suas vantagens e como fazer a sua? No texto abaixo, vamos te contar tudo sobre esse assunto, e te ajudar a entender se vale a pena para você. Confira!

Como funcionam os investimentos em previdência?

Para começar, vamos entender melhor como funcionam os investimentos em previdência privada.

Basicamente, esse tipo de investimento acontece em duas fases: na primeira, você acumula o dinheiro. E na segunda, resgata ou começa a receber.

Dessa forma, você realizará um investimento inicial que, geralmente, se divide em várias aplicações mensais, onde você passará anos investindo.

Quando o investimento atingir o prazo definido no momento da contratação, é a hora de você escolher como vai querer receber o seu dinheiro de volta com os juros, e todo o capital que acumulou ao longo dos vários anos.

Mas, então, qual é a diferença de uma previdência privada para um Fundo comum?

Essa é uma das maiores dúvidas de quem está começando a pesquisar sobre o assunto: qual é a real diferença entre investir em fundos de previdência e em fundos de investimento comuns?

Não há como negar que ambos os produtos financeiros possuem muitas semelhanças. Contudo, uma das maiores diferenças entre os dois modelos é que, no caso dos fundos de previdência, não existe o come cotas. E muitos investidores possuem vantagens tributárias no longo prazo.

Um ponto importante de destacar sobre os fundos de investimentos é que, como os demais ativos, eles também podem ter uma performance agressiva, conservadora ou moderada, existindo opções para todos os perfis de investidores.

A previdência privada possui taxas?

Bom! Assim como todos os produtos financeiros do mercado, esse também conta com taxas. Aliás, o investidor deve analisá-las com atenção, antes de definir em qual produto investir.

As taxas, basicamente, vão te ajudar a entender se aquele modelo vale a pena para você ou não.

Para investimentos em bancos de varejo, por exemplo, as taxas podem ser muito mais pesadas e intensas. Pois essas instituições costumam cobrar taxa de carregamento de entrada e de saída, taxa de administração e taxa de performance.

Assim, as corretoras de valores costumam ser melhores para quem quer investir em PP, já que elas não cobram taxas muito elevadas e nem taxas de carregamento.

De qualquer forma, é muito importante que você reúna a maior quantidade de produtos de PP e analise, cautelosamente, uma a uma, verificando as taxas e os valores.

Somente assim, você poderá definir qual é a mais vantajosa para você, e qual está mais alinhada ao seu perfil de investidor.

Tipos de previdência privada

Ao contrário do que muitos pensam, existem tipos diferentes de previdência privada, que vão impactar diretamente na experiência do investidor. Por isso, você precisa conhecê-los.

Os tipos de previdência privada podem se dividir em 3 principais esferas:

  1. A categoria do plano (se é PGBL ou VGBL);
  2. O tipo de tributação (se é regressiva ou progressiva);
  3. O tipo de gestão (se é agressiva, moderada ou conservadora).

Entenda mais sobre os pontos 1 e 2:

Categoria (PGBL ou VGBL)

Entre PGBL e VGBL, a principal diferença está na forma da tributação. No modelo VGBL, o Imposto de Renda (IR) só se aplica em cima da rentabilidade. Enquanto que no PGBL, o IR incide em cima do valor total que o investidor for resgatar.

Contudo, vale destacar que no PGBL, os aportes serão abatidos do IP e podem atingir, no máximo, 12% da renda tributável anual.

Tipo de tributação

Com relação ao tipo de tributação, ela pode ser regressiva ou progressiva.

Na tributação do tipo progressiva, 15% do lucro do investidor fica retido na fonte e na declaração do IR. E há reajuste no ano seguinte, que pode variar entre 0 e 27,5%, de acordo com a renda.

Já na tributação regressiva, a retenção será de 35% a 10%, mas varia de acordo com o tempo em que o dinheiro ficou aplicado. Dessa forma, quanto mais tempo sem resgatar, menos imposto você paga no momento do resgate.

Afinal, a previdência privada vale a pena?

A resposta dessa pergunta pode variar. Contudo, na grande maioria dos casos, a previdência privada vale sim a pena! Mas é importante que você escolha um bom produto financeiro.

Com ela, você garante um planejamento financeiro mais sólido para o longo prazo. Assim como uma renda extra para complementar o valor que você receberia da aposentadoria pelo INSS. Se você for um profissional autônomo, a PP se torna ainda mais importante.

Vale lembrar que o INSS possui um teto de salário, que pode ser muito abaixo do seu salário atual. Nesse cenário, a previdência privada vai gerar um dinheiro extra por mês, que vai te ajudar a manter o seu estilo de vida.

É claro que a PP possui riscos, assim como todos os demais investimentos, incluindo as taxas, riscos de queda e, principalmente, o período de carência.

No entanto, para quem tem planos para o longo prazo (acima de 8 anos), quer se aposentar mais cedo ou ter um complemento da presidência pública no futuro, sem dúvida, a previdência privada é uma das melhores apostas.

Afinal de contas, os aportes mensais não são tão altos, principalmente quando o investidor começa a investir cedo.

Assim, a previdência privada é uma garantia a mais de retorno e de renda para o seu futuro.

Gostou do conteúdo? Compartilhe a sua opinião com a gente, e encaminhe o texto para quem também vai gostar de entender melhor sobre o assunto!

Leia também