Finanças pessoais e Finanças corporativas

Publicidade

Finanças pessoais e Finanças corporativas: confira nossas dicas e entenda as principais diferenças entre elas.

Publicidade
Fonte: Google Imagens

Saber separar e diferenciar as finanças pessoais e finanças corporativas é uma tarefa que todo empreendedor precisa saber fazer. Mas, infelizmente, a grande maioria acaba deixando a questão de lado no dia a dia.

Publicidade

Com tantos afazeres e problemas para resolver, tanto da empresa como na vida pessoal, é comum que questões básicas do empreendedorismo acabam sendo esquecidas, ou deixadas em segundo plano, como o planejamento financeiro.

Nesse sentido, muitos empreendedores têm o costume de utilizar receitas da empresa para lidar com questões pessoais e vice-versa. No entanto, esse é um dos maiores erros que se pode cometer dentro do empreendedorismo.

Publicidade

Pensando nessa realidade, preparamos um conteúdo exclusivo sobre finanças pessoais e finanças da empresa. Assim, você pode tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Então, continue a leitura para conferir nossas dicas e as diferenças entre cada uma das finanças. E outros pontos bem legais e fundamentais para o planejamento financeiro de empreendedores.

Qual é a diferença entre finanças pessoais e finanças corporativas?

Quando falamos em dinheiro pessoal e dinheiro da empresa, na verdade, estamos nos referindo a dois conceitos financeiros muito importantes: as finanças corporativas e as finanças pessoais.

Para a grande maioria de donos de negócios, um conceito está muito ligado ao outro, ao ponto de confundirem ou não conseguirem distinguir uma coisa da outra.

No entanto, os empreendedores que querem ter sucesso, precisam entender que os conceitos são diferentes e devem ser tratados de forma individual.

Finanças corporativas ou empresariais são as relacionadas com o orçamento, e a receita que o seu negócio consegue gerar, bem como com as suas despesas.

Desse modo, nela está incluso tanto o lucro do negócio, como os gastos que você possui com a produção, aluguel, salários e etc.

Por outro lado, as finanças pessoais representam o dinheiro e os bens que você possui no seu nome, e que estão relacionados à sua família. Da mesma forma, em finanças pessoais, podemos incluir tanto os ganhos como os gastos.

Objetivos pessoais e objetivos do negócio são coisas diferentes

Uma forma muito simples de entender a diferença entre finanças pessoais e finanças corporativas, é pensar nos seus objetivos. Pois seus objetivos pessoais e os objetivos para o seu negócio são diferentes.

Publicidade

Colocando tudo no papel, o estudo das finanças corporativas do seu negócio, te ajudará a visualizar o que você está recebendo de receita, quanto é o gasto, onde estão as falhas da empresa.

Assim como o que pode ser feito para que o negócio atinja os objetivos que foram traçados.

No campo pessoal, as finanças pessoais destinam-se a te ajudar a alcançar benefícios para a sua vida pessoal, que não possuem relação com o seu negócio, como comprar um novo imóvel, pagar uma viagem ou estudar.

Dessa forma, fica mais do que claro que as metas são diferentes, certo? E é por isso que as finanças pessoais e corporativas precisam ser separadas, e cada uma deve ter o seu próprio planejamento.

Motivos para separar as finanças pessoais e finanças corporativas

Agora que já ficou mais claro que as finanças pessoais e as finanças empresariais são duas coisas bem diferentes, que devem ser tratadas de maneiras específicas, vejamos alguns motivos que tornam tão importante separar ambos.

Publicidade

Ter mais organização

Um dos principais motivos para separar as finanças pessoais das corporativas, é para conseguir manter a organização da empresa, e não acabar se perdendo nos resultados.

Se as finanças da sua empresa não estiverem atualizadas e em ordem, as chances do negócio não ir pra frente são muito altas.

Isso porque, com as finanças organizadas, você consegue visualizar perfeitamente todos os seus custos, o fluxo de caixa, o faturamento e seus gastos.

Essas informações, posteriormente, podem ser utilizadas para melhorar a performance da empresa. Assim como para encontrar pontos de gargalo, traçando estratégias mais eficazes para fazer o negócio crescer.

Para potencializar os ganhos

Quando o empreendedor não divide as suas contas pessoais das contas empresariais, fica impossível encontrar o resultado exato dos indicadores de desempenho que citamos acima.

Assim, os gestores nunca terão ideia de qual é o faturamento correto, e nem quais são os custos atuais, dificultando o processo de tomada de decisão e a visualização das oportunidades de melhoria para o negócio.

Fazer essas análises mais precisas, que ajudam o negócio a ter sucesso, só são possíveis quando as finanças estão organizadas e separadas, permitindo visualizar o desempenho real da empresa.

Evitar o desperdício de dinheiro

Sem separar as finanças, fica difícil ter um controle satisfatório dos gastos, o que, com o passar do tempo, pode levar a altas taxas de desperdício de dinheiro.

Publicidade

Ter os dados corretos de fluxo de caixa, ajuda a otimizar o que está sendo gasto, e a entender qual é a melhor hora de gastar, evitando, por exemplo, situações como acúmulo de mercadoria, que acabam sendo perdidas depois.

Saber exatamente qual está sendo o resultado do seu negócio

Por fim, outro motivo para começar a separar as finanças pessoais e as finanças corporativas o mais rápido possível é que, só assim, você conseguirá visualizar qual o verdadeiro retorno que o seu negócio está gerando.

Será que o seu negócio está dando lucro? A empresa está crescendo? Ainda é viável manter o negócio funcionando?

Dúvidas como essas vão surgir em algum momento na cabeça dos empreendedores. Mas, para respondê-las, ter as finanças corporativas organizadas e separadas é essencial.

Isso porque muitos empreendedores têm o costume de tirar dinheiro da empresa para pagar contas pessoais, e de colocar dinheiro pessoal dentro do caixa da empresa.

No entanto, ao fazer essas trocas, é impossível visualizar qual é o resultado real que a sua empresa consegue te entregar.

Viu como é importante conseguir manter o controle separadamente das suas finanças pessoais e corporativas? Ficou com mais alguma dúvida sobre o assunto? Compartilha aqui com a gente!

Leia também