Portabilidade de investimentos – Como funciona?

Publicidade

É normal acontecer de os investidores ficarem insatisfeitos com o serviço ou com as taxas da sua corretora de valores. Mas será que, no caso de investimentos e corretoras, é possível realizar a portabilidade dos ativos?

Publicidade

Afinal, os investidores procuram por opções convenientes de corretoras, que sejam capazes de suprir os seus desejos. Pensando nisso, e nessa possível insatisfação, surgiu a portabilidade de investimentos.

Publicidade

Falando bem resumidamente, esse processo consiste em mudar de corretora de valores, movimentando toda ou a maior parte dos investimentos que você já possui para uma outra instituição financeira.

Publicidade

Neste artigo, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre como funciona a portabilidade de investimentos, o que é, quais ativos podem ser movimentados e os benefícios de realizar uma portabilidade desse tipo. Então, vamos lá?

O que é a portabilidade de investimentos?

A portabilidade de investimentos é um procedimento conhecido como transferência de custódia, e diz respeito à mudança dos investimentos de um investidor de uma empresa custodiante, para outra empresa.

Esse tipo de transferência costuma ser muito vantajosa para os clientes, pois não possuem custos, e não há a necessidade de realizar novos aportes ou resgates.

Às vezes, mesmo que a instituição esteja cumprindo o seu papel com excelência, pode acontecer do investidor querer transferir os seus ativos para outra, seja por conta de taxas ou outras vantagens.

Assim, a portabilidade de investimentos surgiu para conseguir oferecer essa alternativa aos investidores. Afinal, não faria sentido ter que pagar ou perder os investimentos, para começar a investir em outra instituição, não é mesmo?

Como funciona?

A portabilidade de investimentos acontece de uma forma muito parecida com a portabilidade telefônica, por exemplo.

Com ela, os investimentos são transferidos de uma corretora para outra, sem que surjam perdas. Assim como ocorre a transferência de uma linha telefônica para outra operadora, sem que o cliente perca o número.

Publicidade

Basicamente, no caso da transferência de custódia, a carteira de investimentos sairá de uma corretora de valores para outra corretora.

Sendo que, assim que finalizar o processo, já é possível acessar os investimentos dentro da plataforma da nova instituição para gerir os seus ativos.

Além disso, esse processo de transferência pode ser feito com ativos tanto de renda fixa, como de renda variável.

Quais são os ativos que podemos transferir?

Mas quais ativos são elegíveis para essas transferências? Eu posso transferir todos os ativos que possuo, independente de quais são?

Essas dúvidas podem acabar surgindo quando falamos em transferência de custódia. Afinal, nenhum investidor quer acabar perdendo dinheiro ou ativos no momento de portabilidade.

A boa notícia é que, praticamente todos os ativos existentes hoje no mercado financeiro, podem ser transferidos sem problemas.

Os títulos públicos, CDB (Certificado de Depósito Bancário), debêntures, LCI (Letra de Crédito Imobiliário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), ações, CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários), previdência privada e diversos outros ativos, podem ser transferidos em uma situação de portabilidade de investimentos.

No entanto, vale ressaltar e ficar atento a alguns fundos de investimento que são exclusivos em distribuidores específicos, por exemplo. Pois, nesse caso, a portabilidade pode ser mais difícil.

Dentre esses, estão alguns fundos de câmbio, fundos de ações, fundos multimercados e alguns outros.

Contudo, o que pode acontecer é o fundo não estar disponível para a nova corretora de investimentos para a qual você deseja realizar a portabilidade.

Por isso, é muito importante conferir todo o seu portfólio, e comparar com o da instituição de destino antes de realizar a mudança.

Além disso, também é importante ficar atento aos investimentos que fazem parte da garantia que você ofereceu para as operações realizadas na Bolsa de Valores. Pois a transferência para a nova instituição só poderá ocorrer após o fim da operação.

Por fim, nos casos de transferência de previdência privada, o ato só permite a portabilidade para o mesmo tipo. Sendo assim, se a sua previdência privada é PGBL, por exemplo, você só conseguirá transferi-la para a mesma modalidade na corretora de destino.

Publicidade

Como fazer a portabilidade de investimentos?

Para realizar uma portabilidade de investimentos, em primeiro lugar, você precisa conhecer a nova instituição financeira, analisando e pesquisando qual corretora melhor se encaixa no que você procura.

É importante que a pesquisa seja feita com cuidado e com atenção, para garantir que a transferência seja mesmo vantajosa.

Depois de escolher a nova corretora, crie uma conta nela. Basta acessar o site e seguir os passos solicitados, para que você consiga abrir a sua conta. Depois, é só aguardar a abertura da conta.

Após tudo estar concluído, e a sua conta pronta para começar a operar, você deve efetuar a solicitação de portabilidade na sua corretora atual.

Envie os documentos que necessários e, aprovação dos mesmos, a sua atual corretora entra em contato com a nova, para efetuar a transferência das aplicações que você possui.

Feito isso, a sua nova carteira já estará disponível para você acessar na plataforma da nova corretora. É o momento perfeito para conferir se tudo está correto, e começar a operar novamente.

Publicidade

Quais são as vantagens?

A portabilidade de investimentos possui algumas vantagens. Primeiro, a solicitação é gratuita. Ou seja, os clientes não precisam pagar taxas e multas para pedir a transferência.

Além disso, não há exigência de resgates dos investimentos. Desse modo, trata-se de um processo muito prático e fácil, que não prejudica o desempenho da carteira, anulando os riscos de sofrer perdas por conta de mudanças no mercado.

Por fim, a portabilidade estimula a competitividade nesse mercado, o que acaba aumentando o poder de escolha dos clientes, fazendo com que as corretoras busquem sempre melhorar e inovar.

Viu só como o processo de portabilidade de investimentos é muito simples e fácil de realizar? O mais importante é que, no final, a transferência realmente seja vantajosa para você.

Portanto, não se esqueça de estudar tudo muito bem, antes de usufruir desse mecanismo!

Leia também