Como sair do vermelho em 5 passos simples

Publicidade

A pandemia do novo coronavírus trouxe, além dos problemas que ouvimos falar a todo instante, repercussões indiretas fortíssimas à vida dos cidadãos.

Publicidade

O número de desempregados no Brasil atingiu número recorde no ano de 2020, no Brasil, deixando milhões à deriva, afogados em dívidas.

Publicidade

Pessoas que ficam endividadas, muitas das vezes, não sabem como sair da própria dívida, ficam desesperadas e cada vez mais envoltas em seu próprio desastre.

Vou te dizer exatamente, não apenas como sair das dívidas, mas também o que fazer para nunca mais ser uma vítima deste terrível mal.

Calcule suas despesas mensais

Quando você vai ao médico, antes dele lhe passar um medicamento, é realizado uma série de exames, com o objetivo de identificar o que há de errado com a sua saúde.

Se você está endividado, com o salário escorrendo pelos seus dedos enquanto os boletos continuam a aumentar, algo de muito errado está ocorrendo. Portanto, você precisa identificar a origem do problema antes de tomar alguma medida.

Para isso, coloque todos os seus gastos na mesa.

Retire um dia que você esteja mais tranquilo e dedique-se apenas para essa atividade. Registre todos seus gastos, desde gastos com o financiamento da casa até aquele trocado que gastou comprando um sorvete.

Publicidade

Em um primeiro momento, esse primeiro passo parece extremamente óbvio. Porém, a verdade é que as pessoas não costumam fazer isso, seja por medo ou falta de conhecimento.

A prova de que os brasileiros não gostam de listar seus gastos é o próprio endividamento. Naturalmente, se soubesse que seu salário não conseguirá atender aquela compra no shopping, você evitaria fazê-la.

Se tiver noções básicas de Excel, faça uma planilha com todos os gastos do mês. Ficará mais organizado e poderá fazer comparações nos próximos meses e analisar os resultados. Caso contrário, recorra ao velho papel e caneta, que também cumpre o objetivo.

Enxugue as despesas domésticas mensais

Após ter calculado todo o gasto mensal você terá uma noção do quanto está ultrapassando seus limites, e a partir disso, começar a reduzir os custos da casa.

Além disso, saberá o nível dos sacrifícios que precisará fazer. Talvez você não esteja ultrapassando tanto o orçamento quanto pensava e só precisará diminuir os gastos nos fins de semana.

Publicidade

Ou você pode descobrir que está gastando quase o dobro de sua renda e necessitará de medidas mais radicais como cortar custos fixos, por exemplo, de TV a cabo ou Netflix.

Há várias formas de reduzir seus gastos. Irei listar aqui algumas delas e você poderá escolher aquelas se aplica melhor a sua realidade:

1- Cortar gastos supérfluos

Os passeios caros no shopping todo fim de semana, serviços de streaming (aqui, por exemplo, ao invés de cortar a Netflix por completo, você pode buscar um plano mais barato), viagens a lazer, etc. O tópico é abrangente de modo que só você poderá dizer com precisão quais são seus gastos supérfluos.

Esse é o tópico 1 pois é melhor cortar custos que não são essenciais primeiro, para depois passar para coisas mais básicas, mais necessárias para viver bem.

2- Passe para frente coisas que não tem utilidade para você

Sabe aquela pilha de roupas deixadas esquecidas no seu guarda-roupa? Por que não fazer um brechó? Se as suas dívidas não são um valor muito elevado, esta é uma ótima opção. Ganhará um extra sem gastar absolutamente nada.

Publicidade

Você pode divulgar para familiares, amigos, até nas redes sociais, assim mais pessoas vão ficar sabendo e maior a chance de vender tudo.

3- Arrume um companheiro(a) para dividir as contas

Atualmente é muito comum universitários, que vão para outras cidades estudarem, dividirem a casa com mais um colega de quarto. É uma forma bem inteligente de reduzir os gastos.

Assim, a conta de água, luz, internet e aluguel caem pela metade, e você pode utilizar esse dinheiro para quitar outras dívidas.

4- Alimente-se em casa

Apesar de ser muito gostoso, comer na rua gera custos altos comparando com a alimentação em casa. A chave desse tópico é organização, separe suas marmitas na noite anterior ou final de semana, assim fica mais prático naquela correria para sair de casa.

5- Se possível, consiga um emprego extra

Dependendo da situação das suas dívidas, esforce por dois ou três meses e consiga um bico. Pode ser passeando com o cachorro da vizinha ou trabalhando pela internet.

Quer saber mais dicas de como conseguir uma renda extra? Só clicar no botão abaixo!

Negocie suas dívidas

Espero ter conseguido te dar alguma ideia sobre como enxugar seus gastos. Mas deixei para mencionar agora um dos grandes culpados do endividamento – o cartão de crédito.

Publicidade

Os benefícios são muitos, mas se você não souber manter o controle e se tornar um devedor, se prepare, pois os juros serão altíssimos!

E o que fazer neste caso?

Em situações nas quais você já está com a corda toda no pescoço, não há brechó ou emprego extra que resolva. Se este é o seu caso, só há uma saída para você: renegociação.

Entre em contato com o banco do seu cartão, com a financiadora de sua casa e vá renegociar. Mas já vá preparado – sairá de lá com um boleto tão cheio de juros quanto à dívida em si.

Porém, é o melhor que você pode fazer. E não fique sentado esperando por uma solução mágica cair no seu colo (quanto mais demorar, maior será a taxa de juros).

É muito comum que os bancos, de tempos em tempos, façam uma espécie de Black Friday das dívidas. Eles entram em contato com os clientes que estão no vermelho e propõem ótimas renegociações.

Caso aconteça com você, não deixe a oportunidade passar. Será a melhor, e talvez a única, oportunidade de pagar a dívida sem os juros exagerados.

Quer saber como usar seu cartão de crédito sem ficar endividado? Clique aqui!

Crie sua reserva de emergência

Pessoas que já tiveram experiências com endividamento certamente não querem passar pela mesma situação novamente.

E certamente, há formas de você evitar ficar no vermelho com apoio da reserva de emergências. A reserva será aquele valor apenas utilizado se acontecer algum imprevisto (não vale mexer nele para ir ao cinema).

E como eu junto essa reserva? Simples, retirando um valor mensalmente do seu salário e guardando-o. O ideal é pegar a planilha com seus gastos mensais e analisar a partir dela quanto você pode reter.

Cada pessoa consegue guardar um valor X, a depender de seus gastos e de sua renda. Por isso, nada de seguir influenciadores milionários e retirar um valor alto de seu salário.

Após determinar quanto você pode retirar, o próximo passo é começar a guardar. Se você não consegue controlar seus impulsos sozinho, peça ajuda a uma pessoa de confiança.

Outra forma de ter uma reserva de emergência é por meio dos fundos de investimentos. O investimento no Tesouro Direto em rendas fixas são os mais comuns. O legal dele é que, caso necessite, poderá retirar seu dinheiro sem perder nenhum centavo.

Essa é uma ótima escolha caso queira organizar melhor e estar preparado para imprevistos. Lembre-se, separe e guarde esse dinheiro assim que receber seu salário, pois no final do mês sabemos que é mais difícil fazer o dinheiro sobrar.

Seguindo essas simples dicas eu lhe asseguro que conseguirá sair do vermelho, e depois que isso ocorrer, não perca tempo e crie sua reserva de emergência.

Leia também